Desconto para os 30 primeiros alunos que comprarem hoje!
Get Local (200 px × 40 px) (1)

Hemodiálise: Entenda tudo sobre o procedimento

o que é hemodialise
Compartilhe este conteúdo:

O que é hemodiálise?

A hemodiálise é um processo que ocorre através de um equipamento dialisador. Ela tem basicamente o objetivo de ser uma espécie de rim artificial, mas não exerce todas as funções dos rins no organismo humano, porque ela só consegue ir até um determinado limite. A hemodiálise tem o papel de filtrar e depurar esse sangue no lugar dos rins.

Quais são as funções dos rins no nosso organismo?

Os rins não funcionam somente para filtrar o nosso sangue, produzir urina e depurar o sangue.

Existem muitas outras funções que os rins exercem e que vão além das funções que a máquina de hemodiálise exerce. Os rins são órgãos importantes do nosso corpo, pois têm diversas funções.

Dentre elas, podemos destacar a filtragem do sangue, a produção de urina e o controle do equilíbrio de líquidos e eletrólitos no organismo. Além disso, os rins também são responsáveis pela secreção de hormônios, como a eritropoietina, que estimula a produção de glóbulos vermelhos, e o renina, que regula a pressão arterial.

Por tudo isso, é importante cuidar bem dos nossos rins, pois eles são fundamentais para o bom funcionamento do nosso organismo.

Como funciona o processo de hemodiálise?

Geralmente, o sangue do paciente precisa passar pelo equipamento dialisador. E para isso, nós precisamos garantir um acesso seguro e de qualidade.

É necessário que esse paciente passe por um pequeno procedimento cirúrgico para a realização de uma fístula arteriovenosa (FAV). Esse procedimento é feito por um médico vascular com anestesia local. Além disso, é importante saber que o ideal é que essa fístula seja feita de preferência de 2 a 3 meses antes de começar a fazer a hemodiálise.

Essa fístula é feita nos membros superiores, mas dependendo do caso também pode ser feita membros inferiores.

A hemodiálise é um processo que remove o excesso de água e produtos químicos do sangue. É usado para tratar doenças do rim, como a insuficiência renal.

O processo é feito através de um filtro que fica nessa fístula, ligado a um tubo que leva o sangue para fora do corpo. O sangue é então bombeado através do filtro e depois devolvido ao corpo. A hemodiálise leva cerca de 3 a 5 horas e é geralmente feita 3 vezes por semana.

Qual a importância da fístula arteriovenosa para fazer hemodiálise?

A fístula arteriovenosa é um importante método para fazer hemodiálise. É um procedimento cirúrgico que cria um acesso direto entre a artéria e a veia para que o sangue possa ser retirado e devolvido durante a hemodiálise.

A fístula arteriovenosa é considerada o melhor método de acesso para a hemodiálise, pois é menos propensa a infecções e complicações do que outros métodos, como cateteres. Além disso, a fístula arteriovenosa permite que o sangue seja retirado e devolvido mais rapidamente, o que é importante para pessoas que precisam de hemodiálise frequente.

Essa pequena cirurgia vai fazer uma ligação entre uma pequena veia e uma pequena artéria com o objetivo de aumentar seu calibre e resistência, ajudando assim a entrada e saída de sangue pelo acesso e evitando também algumas possíveis complicações.

O equipamento Dialisador

Existem dois acessos: através de um desses acessos o sangue será bombeado dessa fístula arteriovenosa para o dialisador que é um equipamento que faz parte da máquina de hemodiálise.

Esse dialisador irá remover os produtos residuais do sangue através da sua membrana semipermeável. Ele é basicamente de um cilindro que possui dois compartimentos que são separados por essa membrana semipermeável.

O alto fluxo de sangue flui em um compartimento enquanto o dialisado, que é a água filtrada, tratada, purificada é colocado junto a solução de diálise, fluindo em direção oposta. Assim, a membrana permeável permite que as células do sangue, proteínas e outras coisas importantes permaneçam no sangue desse paciente.

Outras substâncias menores como os metabólitos e o fluido em excesso passam pela membrana para outro compartimento e são basicamente lavados para longe.

Há também o processo de difusão em que toxinas e produtos celulares degradados são removidos, fluindo de áreas de maior concentração para áreas de menor concentração, ocorrendo assim o processo de depuração do sangue, retornando ao organismo pelo segundo acesso venoso.

Então agora que nós entendemos o papel do dialisador na máquina de hemodiálise, nós vamos entender sobre o trajeto que esse sangue irá percorrer no processo de hemodiálise.

Já entendemos que devido a uma doença renal, por exemplo, os rins têm a sua função de filtrar e depurar o sangue prejudicada e o organismo ficará com elevados níveis de metabólitos, como por exemplo ureia, creatinina, além de potássio e outras substâncias que podem se tornar tóxicas em excesso e muito perigosas.

Logo, é necessário que o paciente seja submetido ao processo de hemodiálise, então esse sangue do organismo vai passar por uma circulação extracorpórea através dessa máquina de hemodiálise.

A partir desse segundo acesso venoso, ele vai passar para o monitor de pressão para controle. Depois ele vai passar por uma bomba e vai encontrar a bomba de heparina. Nesse caso, para evitar a formação de coágulos no sangue tem solução salina isotônica, que serve para prevenção de complicações como por exemplo as câimbras, devido ao processo de ultrafiltração, passando novamente por de pressão e entrando no dialisador.

No dialisador, você pode perceber que ele está conectado ao fluido dialisado, que é a água purificada mais a solução de diálise, que tem uma composição semelhante ao plasma sanguíneo, o fluido novo e o fluido que já passou pelo dialisador com as substâncias indesejadas.

Após isso, o sangue sairá do dialisador passando novamente por um monitor de pressão para controle e por um detector captador de bolhas de ar, antes de voltar para o organismo, evitando assim complicações como a embolia gasosa.

Terminando esse processo com sangue filtrado e depurado, volta para o organismo desse paciente através do acesso venoso.

Quais são os resultados do procedimento?

O principal resultado é eliminar o excesso de metabólitos do sangue e corrigir distúrbios hidroeletrolíticos. Em relação ao tempo do procedimento, ele pode variar de acordo com o estado clínico do paciente.

Quem precisa fazer?

O tratamento de hemodiálise é indicado para pessoas com insuficiência renal aguda ou crônica graves. O diagnóstico é feito por um médico especialista, o nefrologista. A partir de uma consulta médica inicia-se uma investigação mais profunda e focada.

Os pacientes que precisam de hemodiálise geralmente têm doenças renais crônicas avançadas. No entanto, o tratamento também pode ser usado para tratar outras condições médicas, como insuficiência hepática e intoxicação por drogas.

Quais exames são realizados antes de iniciar a hemodiálise?

A hemodiálise é um tratamento que visa filtrar o sangue do paciente através de um filtro e, assim, remover o excesso de água e sais. É indicada para pacientes com insuficiência renal crônica e é realizada em clínicas especializadas.

Antes de iniciar a hemodiálise, o paciente deve realizar alguns exames, como hemograma completo, urina 24 horas, ureia, creatinina, potássio, cálcio, fosfato, albumina, ferritina, ferro sérico, entre outros. Além disso, o paciente deve passar por uma avaliação médica e por uma avaliação psicológica, para que seja possível avaliar se o tratamento é adequado para ele.

Quando a hemodiálise não é indicada?

A hemodiálise é um tratamento que pode ser indicado para diversos problemas de saúde, como insuficiência renal crônica ou edema. No entanto, existem algumas situações em que a hemodiálise não é a opção mais indicada. Por exemplo, se a pessoa estiver em estado grave ou se tiver alguma complicação médica que possa ser agravada pelo tratamento, a hemodiálise pode não ser a melhor opção.

Além disso, se a pessoa não tiver acesso a um equipamento de hemodiálise ou não puder seguir as instruções do tratamento, também é possível que a hemodiálise não seja a indicada. No entanto, cada caso é um caso e é importante que a pessoa consulte um médico para saber se a hemodiálise é o tratamento ideal para ela.

Quais são os efeitos colaterais do tratamento com hemodiálise?

Os efeitos colaterais do tratamento com hemodiálise podem incluir:

  • Cãibras
  • Dor nas articulações
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Diarreia
  • Prisão de ventre
  • Tonturas
  • Fadiga
  • Desidratação
  • Hipotensão
  • Arritmia cardíaca
  • Infecções

A maioria dos efeitos colaterais do tratamento com hemodiálise são temporários e podem ser tratados. No entanto, alguns efeitos colaterais podem ser mais graves e podem exigir cuidados médicos especiais.

Como é o dia a dia de pessoas que fazem hemodiálise?

O dia a dia de pessoas que fazem hemodiálise é bastante rotineiro. Elas se levantam cedo, tomam um banho e se vestem antes de irem para o centro de diálise. Lá, elas se sentam em uma cadeira e são conectadas a um equipamento que remove o excesso de líquidos e toxinas do seu sangue.

A sessão de diálise dura cerca de 4 horas e, durante esse tempo, as pessoas podem relaxar, ler ou assistir TV. Após a diálise, elas voltam para casa e podem levar uma vida relativamente normal. No entanto, é importante que elas bebam bastante líquido e evitem alimentos que possam causar problemas durante a diálise.

Qual é o papel do enfermeiro que trabalha com hemodiálise?

O enfermeiro que trabalha com hemodiálise tem um papel importante na assistência aos pacientes. Ele deve garantir que o paciente receba o tratamento adequado e esteja sempre monitorado. Além disso, o enfermeiro também deve orientar o paciente e sua família sobre o tratamento e como cuidar do paciente durante o tratamento.

curso de hemodiálise

Curso de Hemodiálise

Aprenda todos os Procedimentos Técnicos e se torne um profissional com habilidade para atuar em uma unidade de hemodiálise. Clique aqui para mais informações.